A Autoridade de Saúde Regional dos Açores anunciou hoje que “está a ser constituída uma equipa de acompanhamento e de coordenação” para a hospitalização domiciliária na região para os casos confirmados de infeção com o novo coronavírus.

“Para além do Hospital de referência e também dos hospitais de segunda linha e das unidades de saúde de ilha estamos a constituir esta equipa de acompanhamento e de coordenação da hospitalização domiciliária para dar também resposta a esses casos”, adiantou o responsável pela Autoridade de Saúde Regional, Tiago Lopes.

O responsável falava na ilha Terceira na conferência de imprensa para ponto da situação referente á pandemia de covid-19 na região, acrescentando que esta equipa fará um acompanhamento “diário da evolução clínica dos utentes” e será constituída por médicos de medicina interna e enfermeiros”.

E, “perante eventuais sinais de infeção respiratória, tosse, febre e dificuldade respiratória, em articulação com a equipa de médicos reguladores da Proteção Civil” será decidida a eventual transferência do utente para “uma unidade diferenciada”, explicou.

A Autoridade de Saúde dos Açores informou esta manhã que foram diagnosticados sete novos casos positivos de covid-19, elevando para 11 o número de casos detetados na região.

Cinco dos casos foram detetados na ilha de São Jorge, um na Terceira e outro em São Miguel, este último o primeiro na maior ilha açoriana.

“No caso de São Miguel a pessoa contactou com uma pessoa infetada que se encontra no continente”, esclareceu Tiago Lopes, referindo que os sete novos casos diagnosticados “apresentam situação clínica estável e permanecem, de momento, no domicílio”.

Tiago Lopes acrescentou que das 13:00 à meia-noite de sábado os Açores têm um total de 20 casos suspeitos e 1763 pessoas em vigilância ativa nas ilhas.

Em relação aos casos detetados na ilha de São Jorge, lembrou que são do “mesmo grupo de oito pessoas que esteve a viajar durante dias pelo estrangeiro”.

“Não há neste momento transmissão local. E há um aspeto importante que é o caso negativo do Pico que era suspeito naquela ilha, porque tinha viajado na mesma aeronave que os passageiros que estavam naquele grupo que esteve a viajar durante dias pelo estrangeiro”, assinalou Tiago Lopes.

Tiago Lopes adiantou ainda, que atendendo à existência nos três hospitais da região(São Miguel, Terceira e Faial) de unidades de cuidados intensivos, será constituída “a breve trecho” uma equipa de coordenação daquelas três unidades para a assistência ao doente critico.

O responsável confirmou que uma unidade hoteleira da cidade de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, “encontra-se em confinamento obrigatório”, medida “preventiva” até saírem os resultados de amostras biológicas realizadas.

“A partir de segunda ou terça-feira a região está autónoma para fazer as analises laboratoriais”, através do Serviço Especializado de Epidemiologia e Biologia Molecular, do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, e “já não será necessária a validação pelo Instituto Ricardo Jorge”, avançou ainda Tiago Lopes.

Portugal elevou hoje para 14 o número de mortes associadas ao vírus da covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), que regista 1.600 casos confirmados de infeção.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já causou pelo menos 11.401 mortos em todo o mundo e foram detetados mais de 271.660 casos de infeção em 164 países e territórios.

Lusa/Rádio Faial | Foto: CSPD