Alunos, professores e pessoal não docente nos Açores vão ter pelo menos duas máscaras sociais reutilizáveis no arranque do próximo ano letivo, num total de cerca de 60 mil máscaras sociais cuja distribuição já se iniciou.

A informação foi avançada hoje pelo Governo Regional numa nota enviada às redações que indica que “a produção das cerca de 60 mil máscaras sociais destinadas às escolas dos Açores está concluída e a sua distribuição pelos estabelecimentos de ensino públicos da região já se iniciou na passada semana”, com o envio, via correios, das máscaras destinadas às escolas de Santa Maria, São Jorge, Faial, Terceira, Pico, Graciosa, Flores e Corvo.

Em São Miguel, a distribuição está a decorrer esta semana, informa a nota, referindo que as cerca de 60 mil máscaras estão “certificadas pelo CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e Vestuário de Portugal”.

Segundo o executivo açoriano, a distribuição de duas máscaras sociais reutilizáveis por cada um dos alunos do 2.º e do 3.º ciclo do ensino básico e do secundário, dos professores e dos restantes funcionários das escolas “é uma das medidas previstas pela Secretaria Regional da Educação para o arranque do ano letivo em segurança em todas as unidades orgânicas da região, face à situação da covid-19”.

A utilização das máscaras sociais nas escolas abrange os alunos a partir do 2.º ciclo do ensino básico, cumprindo, assim, as orientações definidas pelas autoridades de saúde para a idade mínima dos alunos para uso deste tipo de equipamento de proteção individual.

O arranque do próximo ano letivo está previsto para 15 de setembro.

Os Açores registaram nas últimas 24 horas um caso positivo de covid-19 na ilha Terceira e há ainda a assinalar duas recuperações em São Miguel.

Até ao momento, foram detetados na região 227 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se atualmente 29 casos positivos ativos, dos quais 25 na ilha de São Miguel, três na ilha Terceira e um na ilha do Pico.

Desde o início do surto, morreram 16 pessoas na região, todas em São Miguel.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados