Os Açores já começaram a testar por infeção pelo novo coronavírus alunos e professores de cinco ilhas, que deverão regressar em breve às escolas, revelou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

“Já o iniciámos e portanto é expectável que nos próximos dias o número de rastreios suba de forma significativa. Iniciámos já com alguns docentes e com alguns dos alunos. Temos já na Terceira, no Faial, na Graciosa, Pico e São Jorge, e ao longo dos próximos dias iremos ter um número bastante significativo de pessoas em âmbito de testes realizados ao abrigo dos rastreios”, avançou o responsável máximo da Autoridade de Saúde Regional dos Açores.

Tiago Lopes, que é também diretor regional da Saúde, falava, em Angra do Heroísmo, num ponto de situação sobre a evolução da pandemia da covid-19 no arquipélago.

Nas ilhas de Santa Maria, Flores e Corvo, onde até ao momento não foram registados casos de infeção pelo novo coronavírus, foram retomadas esta segunda-feira as aulas presenciais nos três ciclos de ensino básico, bem como no secundário.

Nas restantes ilhas serão retomadas apenas as aulas presenciais no 11.º e 12.º anos, no dia 18 de maio nas ilhas Terceira, São Jorge, Pico, Faial e Graciosa e no dia 25 de maio na ilha de São Miguel.

Sem se comprometer com um prazo para a conclusão do rastreio nas escolas, o responsável da Autoridade de Saúde Regional disse que o objetivo era realizá-los “o mais rapidamente possível”, mas ressalvou que estão em causa “centenas de testes”.

Já eram realizados rastreios à covid-19 aos passageiros que chegam à região, no final dos 14 dias de confinamento em unidades hoteleiras, bem como aos utentes e funcionários de estruturas residenciais para idosos, unidades de cuidados continuados integrados e casas de saúde, quando entram ao serviço, num esquema de rotatividade.

Das 219 análises realizadas até às 00:00 de hoje – todas com resultado negativo – 213 diziam respeito a rastreios.

Estavam a aguardar recolha de amostras ou resultados dos testes 528 pessoas, 522 também referentes a rastreios e o número deverá continuar a aumentar, segundo Tiago Lopes.

Com a realização destas análises laboratoriais, o arquipélago vai ultrapassar as 10.000 pessoas testadas à infeção pelo novo coronavírus, desde o início do surto.

O responsável da Autoridade de Saúde Regional disse estar a trabalhar “em estreita colaboração” com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, laboratório de referência em Portugal, para que os Açores possam também produzir “conhecimento sobre o comportamento do novo coronavírus”.

Quanto à realização de testes rápidos e de testes serológicos na região, está prevista, mas ainda não existe uma data para que se inicie.

“O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge tem trabalhado connosco, com a devida ponderação, para verificar se efetivamente temos condições e se os testes são fidedignos e são eficazes para a sua validação e é nesse sentido que estamos a trabalhar com a devida calma”, apontou Tiago Lopes.

Os Açores não registaram novos casos positivos de covid-19 pelo segundo dia consecutivo, tendo ocorrido duas recuperações na ilha de São Miguel, incluindo uma utente do lar da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste, com 92 anos.

Dos 38 casos positivos ativos na região, apenas 12 estão internados, 11 no hospital de Ponta Delgada e um no da ilha Terceira.

Desde o início do surto foram confirmados 145 casos da covid-19 nos Açores, 38 dos quais atualmente ativos, tendo ocorrido 91 recuperações (61 em São Miguel, 11 na Terceira, sete no Pico, seis em São Jorge, três no Faial e três na Graciosa) e 16 mortes (em São Miguel).

A ilha de São Miguel é a que registou mais casos (107), seguindo-se Terceira (11), Pico (10), São Jorge (sete), Faial (cinco) e Graciosa (cinco).

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados