O Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Horta, em fase de revisão nos termos da legislação em vigor, mereceu parecer positivo da Comissão Municipal de Proteção Civil, que senta à mesma mesa, parceiros sociais, forças de segurança e juntas de freguesia do concelho.

O documento, que esteve durante 30 dias em discussão pública, entra agora na última fase do processo de revisão, que prevê a aprovação final em reunião de Câmara, a realizar na tarde desta quinta-feira, e consequente homologação pelo Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.

Na reunião da Comissão, José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal da Horta e do Serviço Municipal de Proteção Civil do concelho, aproveitou a ocasião, face ao período de emergência sanitária que ainda vivemos, para enaltecer o espírito de interajuda de todos os agentes de proteção civil concelhios.

Para José Leonardo Silva, “é digno de registo o empenho de todos os agentes de proteção civil, que estiveram sempre disponíveis para articular respostas, rápidas e urgentes, desde que foi ativado o Plano Municipal de Emergência, em março último, até à presente data, realizando diversas reuniões, muitas delas por videoconferência, para que no concelho, estivéssemos aptos a responder às questões ligadas à emergência sanitária”.

O autarca recordou, igualmente, a envolvência e cooperação das entidades também por ocasião da passagem do Furacão Lorenzo pelo arquipélago dos Açores, frisando que, tal como agora, a capacidade de superação do Faial e dos faialenses é um dos ensinamentos que mais se retira durante este período difícil que temos vivido.

“A segurança dos faialenses é a nossa missão, mas os membros aqui presentes, com o nível de empenhamento que têm tido, dão boa nota como a união, a organização e a resiliência ainda são a principal arma para combater as crises, sejam elas sanitárias ou outras”, acrescentou José Leonardo Silva.

Recorde-se que o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Horta, analisado pela Comissão Municipal de Proteção Civil, encontra-se em vigor desde 2008, tendo sido alvo de atualização em 2014, sofrendo agora a sua primeira revisão.

CMH/Rádio Faial | Foto: CMH