O abastecimento marítimo às duas ilhas do grupo Ocidental dos Açores “foi reforçado nos últimos dias”, permitindo “aumentar o abastecimento à ilha do Corvo” e “normalizar o transporte de carga por via marítima para as Flores”, foi hoje anunciado.

De acordo com um comunicado do executivo açoriano, o abastecimento por via marítima às ilhas das Flores e do Corvo foi reforçado durante os últimos dias com a habitual escala do navio Malena, no Porto das Lajes das Flores, com quatro escalas do navio Lusitânia e uma do navio Paulo da Gama, no Porto da Casa, na ilha do Corvo.

Um comunicado divulgado pelo Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GACS) do executivo regional explica que “foram transportados para as Flores e Corvo bens alimentares, combustíveis, viaturas, material de construção, alimento para animais e congelados diversos, entre outros bens”.

No total das quatro escalas realizadas no Porto da Casa (no Corvo), o navio Lusitânia, da Empresa de Barcos do Pico, transportou 520 toneladas, enquanto a embarcação Paulo da Gama, da Transportes Marítimos Graciosenses, que realizou uma viagem Horta-Corvo, transportou cerca de 65 toneladas de carga, segundo a mesma nota de imprensa.

Em relação ao navio Malena, o executivo açoriano refere que “este voltou a realizar uma escala no Porto das Lajes das Flores, transportando 58 contentores”, além de “15 viaturas e um barco de pesca”.

“O reforço das escalas durante os últimos dias permitiu aumentar o abastecimento à ilha do Corvo e normalizar o transporte de carga por via marítima para as Flores”, sublinha a mesma nota.

A secretaria regional dos Transportes e Obras Públicas, através do Fundo Regional de Coesão, adianta que “está a monitorizar permanentemente o abastecimento às ilhas das Flores e Corvo, no seguimento dos estragos provocados pela passagem do furacão Lorenzo”.

A passagem do Lorenzo pelos Açores provocou a destruição do porto das Lajes das Flores, responsável pelo abastecimento às ilhas do grupo ocidental do arquipélago.

No caso do Corvo, o Governo Regional contratou a embarcação Lusitânia (da empresa Barcos do Pico) para abastecer a ilha semanalmente, mas, devido a condições atmosféricas adversas, o barco não tem conseguido realizar a travessia.

O Governo dos Açores assegura ainda que tem desenvolvido “todos os esforços para garantir um normal abastecimento a todas as ilhas do arquipélago durante o período da greve nacional dos estivadores”.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados