A secretária da Saúde do Governo dos Açores, Teresa Luciano, considerou hoje que o executivo está agora “mais preparado”, a nível técnico, de equipamentos e de instalações, para enfrentar uma eventual segunda vaga de covid-19.

O Serviço Regional de Saúde e os seus profissionais, lembrou a governante no hemiciclo açoriano, “enfrentam agora o desafio da recuperação da atividade assistencial, num contexto que se adivinha particularmente complexo, pela proximidade da época gripal, e pelos prenúncios e riscos de uma segunda vaga” de covid-19.

“Dentro em breve, teremos vários vírus respiratórios em circulação, obrigando a maior controlo epidemiológico e ao reforço das medidas de segurança preconizadas nos planos de contingência das unidades de saúde. Mas estamos mais preparados, não só tecnicamente, como em equipamentos médicos, de proteção individual, e em instalações”, considerou Teresa Luciano.

A secretária regional falava em plenário, num debate de urgência pedido pelo PSD com o tema da Saúde como pano de fundo.

Neste momento, acrescentou a governante, existem 80 ventiladores nos Açores e 26 quartos de pressão negativa nos três hospitais da região.

Relativamente aos profissionais de saúde, estes “estão mais preparados”, pois desde o começo da pandemia houve “todo este tempo para aprender, trabalhar e reforçar competências”.

Na região, anunciou ainda a governante, foram já feitos 115 mil testes à covid-19, e houve 30 mil análises efetuadas ao abrigo da convenção estabelecida com laboratórios em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira.

Nesse sentido, o rácio é dde 600 testes por cada mil residentes, “quase o dobro da Região Autónoma da Madeira e quase o triplo de Portugal continental”, valorizou.

“Cabe também salientar que, através da convenção realizada com estes laboratórios fora da região, foi possível detetar 53 casos positivos antes do embarque, contribuindo decisivamente para a proteção da saúde de residentes e visitantes dos Açores”, prosseguiu Teresa Luciano.

Desde maio, tem havido um “movimento seguro de retoma nos blocos operatórios” dos hospitais da região, mas o executivo reconhece que tem de “fazer mais”.

“E vamos fazer mais, porque honramos os nossos compromissos e porque este é o nosso dever para com todos os açorianos”, declarou a secretária com a tutela da Saúde.

O parlamento dos Açores reúne-se esta semana naquele que é o último plenário antes das próximas eleições na região, marcadas para 25 de outubro.

Até ao momento, foram detetados nos Açores 239 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se atualmente 36 casos positivos ativos, dos quais 29 na ilha de São Miguel, seis na ilha Terceira e um na ilha do Pico.

Desde o início do surto morreram 16 pessoas na região, todas em São Miguel.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados