No dia em que passam 22 anos do Sismo de 9 de julho de 1998, foi assinado o contrato para execução da empreitada de construção da nova sede do quartel da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Faial.

José Leonardo Silva, Presidente da Câmara da Horta, destacou, na ocasião, o importante papel que os soldados da paz desempenharam e desempenham em situação de catástrofe, relembrando, para o efeito, o sismo de 9 de julho de 1998.

“Foi um momento muito difícil e marcante para todos os faialenses, quer social, quer economicamente, mas os nossos bombeiros foram exímios na ação de socorro que realizaram desde o primeiro minuto. Hoje, temos muito que lhes agradecer”, referiu o autarca.

Para o Presidente da Câmara, “a construção do futuro quartel dos bombeiros conhece hoje mais um passo. Hoje, numa época marcada extraordinariamente por desafios, assumimos e garantimos o nosso compromisso não só para com os bombeiros voluntários do Faial, mas sobretudo com uma proteção civil melhor preparada, dotada de maior capacidade de meios e apostada na formação dos seus efetivos, para fazer face aos vários cenários de crise que possam vir a surgir”.

“O facto de chegarmos hoje a este nível de compromisso só foi possível pelo consenso que todos os intervenientes aqui presentes foram capazes de criar na hora de definir, de uma vez por todas, a localização do novo quartel e que ficará, como se sabe, implantado em terreno cedido pelo Município”, assegurou.

José Leonardo Silva destacou, ainda, o facto de estar a ser revisto o Plano Municipal de Emergência, um documento estruturante e que vem reforçar o papel do Serviço Municipal de Proteção Civil,  “uma proteção civil de âmbito municipal ativa e devidamente estruturada, graças à criação, no quadro do atual mandato, da figura do Coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil, atual comandante desta corporação, que presta um serviço muito relevante em articulação com o nosso Município.”

CMH/Rádio Faial | Foto: CMH