A conferência de líderes da Assembleia Legislativa dos Açores decidiu hoje não realizar o plenário de abril (inicialmente previsto de 14 a 17) de forma presencial, mas sim por videoconferência, em data ainda a definir, indicaram fontes parlamentares.

A maioria dos deputados açorianos entende que o funcionamento do principal órgão da autonomia regional deve ser adaptado às restrições impostas pelas autoridades de saúde, na sequência da pandemia da covid-19, que já levou à infeção de 66 pessoas no arquipélago.

“A continuidade dos trabalhos parlamentares pode ser garantida sem pôr em causa a saúde dos açorianos, como aconteceria caso fosse necessário proceder ao transporte, por via aérea, dos deputados das várias ilhas para a cidade da Horta [onde está situada a sede do parlamento]”, justificou Francisco César, líder parlamentar do PS, partido que tem maioria absoluta na Assembleia Regional.

A realização de um plenário por videoconferência já tinha sido proposta também pela bancada do PSD no parlamento açoriano.

Entretanto, a Comissão Permanente da Assembleia Regional agendou para o dia 14 de abril a audição ao presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, sobre as medidas de prevenção contra o novo coronavírus que têm sido tomadas na região.

Marcadas estão também, para a próxima semana, as audições de vários membros do Governo dos Açores nas comissões setoriais do parlamento (Comissão de Economia, Comissão de Assuntos Sociais, Comissão de Assuntos Parlamentares, Ambiente e Trabalho e Comissão de Política Geral), também com recurso a videoconferência.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Rádio Faial