A Proteção Civil dos Açores emitiu hoje um alerta devido à passagem da depressão Justine pelo arquipélago, reforçando o apelo à população para que tome medidas de autoproteção devido ao agravamento do tempo a partir de quinta-feira.

Numa nota enviada às redações, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que “estão acionados os agentes de proteção civil da região necessários aos trabalhos para a resolução de eventuais ocorrências, considerando que a situação poderá implicar a adoção de medidas especiais”.

“O SRPCBA procedeu à coordenação institucional, que assegura que todas as entidades e instituições de âmbito regional necessárias às operações de proteção e socorro, emergência e assistências previsíveis ou decorrentes se articulam entre si, garantindo os meios adequados à gestão da ocorrência desta natureza”, é acrescentado.

A Proteção Civil dos Açores renova ainda o apelo à população para o reforço da medidas de autoproteção, aconselhando a limpeza dos sistemas de drenagem e dos adjacentes às residências e pedindo que sejam guardados objetos soltos do jardim ou outros que possam ser projetados pelo vento e que sejam consolidados telhados, portas e janelas.

Fechar bem portas, janelas e persianas, circular só em caso de necessidade e abrigar os animais, são outras das medidas de proteção referidas pela proteção civil.

A entidade pede também à população que se afaste de áreas baixas junto da orla marítima, estando desaconselhada a prática de atividades relacionadas com o mar, e que proceda ao reforço das amarrações das embarcações ou à mudança dos barcos para local seguro.

Numa nota enviada esta tarde, o Governo açoriano adiantava que o secretário Regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, já se tinha reunido com a estrutura da proteção civil para “conferir a operação na íntegra” face à passagem da depressão.

“O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores está a preparar uma vasta operação para atender às ocorrências que possam resultar desta situação meteorológica de risco”, era ainda referido na nota.

Devido à previsão de vento associada à depressão Justine, as ilhas das Flores e do Corvo vão estar sob aviso vermelho entre as 21:00 de quinta-feira (22:00 em Lisboa) e as 03:00 de sexta-feira.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo e é o mais grave de uma escala de quatro avisos.

Nesta situação, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

A depressão Justine deverá afetar os Açores a partir de quinta-feira à tarde, prevendo-se um aumento da intensidade do vento, com rajadas que poderão chegar aos 140 quilómetros por hora, nas Flores e Corvo.

Nas duas ilhas do grupo ocidental estão também previstas ondas de sete a nove metros de altura significativa, segundo o mais recente comunicado emitido pela delegação regional dos Açores do IPMA.

No comunicado, o IPMA alerta também que a depressão Justine poderá provocar também rajadas de vento de 120 quilómetros por hora nas ilhas do grupo central (Terceira, São Jorge, Pico, Graciosa e Faial) e até 100 quilómetros por hora no grupo oriental (São Miguel e Santa Maria).

“Provocará também um aumento da agitação marítima com ondas de sete a nove metros de altura significativa no grupo ocidental, de seis a oito metros no grupo central e até cinco metros no grupo oriental. Associada a esta situação meteorológica ocorrerá, também, precipitação”, lê-se ainda no comunicado do IPMA.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados