O grupo SATA, detentor das transportadoras Azores Airlines e SATA Air Açores, irá continuar sem voar até 31 de maio, estando com a operação suspensa desde 19 de março devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a empresa.

“O grupo SATA manterá a sua operação suspensa até 31 de maio de 2020. Excetuam-se os voos para Toronto, Boston, Praia (Cabo Verde) e Frankfurt, que continuarão suspensos até 06 de junho de 2020”, avançou hoje a empresa açoriana, em comunicado.

A SATA indica que os passageiros que viram o seu voo cancelado terão a “possibilidade de agendar a sua viagem” até 31 de dezembro de 2020 ou de solicitar um ‘voucher’ com validade de um ano para “planear viagens futuras”.

“Esta situação poderá ser reavaliada em virtude da evolução do surto de covid-19”, acrescenta a empresa.

Em 19 de março, o Governo Regional determinou a suspensão das ligações aéreas da transportadora entre todas as ilhas da região, operadas pela SATA Air Açores.

Também nesse dia, o líder do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, anunciou que iriam ser suspensas todas as ligações aéreas do exterior para o arquipélago, da responsabilidade da Azores Airlines.

Em 30 de abril, o presidente do Governo Regional anunciou que a transportadora aérea, da qual a região é acionista único, continuaria sem operar, exceto em casos de força maior ou transporte de carga, mas sem indicar uma data.

A SATA e a Ryanair não estão a operar para os Açores, mas a TAP nunca deixou de voar para a região, mantendo ainda duas ligações semanais para São Miguel e uma para a Terceira.

Desde o início do surto foram confirmados 144 casos da covid-19 nos Açores, 65 dos quais atualmente ativos, tendo ocorrido 64 recuperações (42 em São Miguel, nove na Terceira, cinco em São Jorge e cinco no Pico e três na Graciosa) e 15 mortes (em São Miguel).

A ilha de São Miguel é a que registou mais casos (106), seguindo-se Terceira (11), Pico (10), São Jorge (sete), Faial (cinco) e Graciosa (cinco).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 257 mil mortos e infetou quase 3,7 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.089 pessoas das 26.182 confirmadas como infetadas, e há 2.076 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados