A Autoridade de Saúde Regional dos Açores detetou sete casos positivos da covid-19, nas últimas 24 horas, na sequência da realização de 1.308 análises nos dois laboratórios de referência do arquipélago, foi hoje anunciado.

De acordo com o comunicado diário da Autoridade de Saúde, na ilha de São Miguel foram diagnosticados, através do teste realizado à chegada, uma mulher de 34 anos, não residente e proveniente do continente, e um homem de 38 anos, residente nos Açores, oriundo de ligação com a Madeira.

Foram ainda diagnosticados naquela ilha um homem de 42 anos não residente, com resultado conhecido após o desembarque, e um bebé de sete meses cujos pais, residentes no arquipélago, já tinham tido um resultado positivo após o desembarque recente no arquipélago e estavam a cumprir isolamento desde essa altura.

Na ilha Terceira, foram diagnosticados, através de teste de despiste também efetuado à chegada, uma mulher de 32 anos e os seus dois filhos, de 5 e 9 anos, residentes na região, oriundos de ligação aérea com o continente.

Segundo a Autoridade de Saúde, todos os casos “apresentam situação clínica estável”.

Um homem de 31 anos identificado como portador do vírus da covid-19 em 26 de agosto, em São Miguel, saiu entretanto da região, “com destino a território continental, à revelia das autoridades”, tendo-se já diligenciado, através da Delegação de Saúde Concelhia, os procedimentos “com vista à articulação com as respetivas autoridades e tramitação judicial”.

Até ao momento, foram detetados na região 236 casos positivos, verificando-se atualmente 34 casos positivos ativos, dos quais 27 na ilha de São Miguel, seis na ilha Terceira e um na ilha do Pico.

O arquipélago regista 16 mortes, todos em São Miguel.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 875.703 mortos e infetou mais de 26,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.838 pessoas das cerca de 60 mil confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados