Os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica dos Açores vão fazer greve nos dias 09 e 10 de setembro, em reivindicação pela revisão da carreira e pela contagem do tempo de serviço, anunciaram hoje dois sindicatos.

“Em virtude de a proposta apresentada pela Secretaria Regional da Saúde na última reunião havida com a tutela não respeitar minimamente as legítimas expectativas e reivindicações dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, o Sintap, conjuntamente com outras três sindicatos, avançou com um pré-aviso de greve destes trabalhadores entre as 00:00 do dia 09 e as 24:00 do dia 10 de setembro”, adiantou o sindicato, em comunicado de imprensa.

Em causa, segundo o Sintap, está “a revisão da carreira, a contagem do tempo de serviço para efeitos de progressão e a aplicação integral do acordo coletivo de trabalho”.

O sindicato pede “desculpa e compreensão” pelas perturbações que o protesto possa trazer aos utentes, mas apela a “uma forte adesão dos trabalhadores”.

Por outro lado, manifesta-se disponível para um “diálogo sério e construtivo que permita a adoção de uma solução legislativa semelhante àquela que foi alcançada pela Região Autónoma da Madeira”.

Também o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (STSS) anunciou, em comunicado de imprensa, a realização da greve e de “uma ação de protesto contra o não agendamento de uma reunião para dar resposta à contraproposta feita pelo em 31 de agosto”, que irá decorrer no dia 09, entre as 12:00 e as 15:00, em frente à Assembleia Legislativa da região, na ilha do Faial.

“A proposta feita pelo Governo Regional dos Açores ficou muito aquém do que foi negociado com outras carreiras da saúde na região”, frisou o sindicato.

O STSS reivindica igualmente a aplicação imediata da revisão da carreira dos técnicos de diagnóstico e terapêutica nos Açores, “transições justas” nas três categorias da carreira e “uma grelha salarial equiparada a outras carreiras da Administração Pública com o mesmo nível habilitacional e profissional”.

A paralisação tem também por base a contagem de todo o tempo de serviço anterior ao processo de transição para a carreira especial para efeitos de progressão na carreira, independentemente do vínculo laboral, e a aplicação integral do acordo coletivo de trabalho.

“Apesar do respeito que os técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica têm pela saúde dos açorianos, o Governo Regional não lhes deixa outra solução senão avançarem para novas formas de luta”, salientou o vice-presidente do STSS, Fernando Zorro.

Os técnicos de diagnóstico e terapêutica já tinham realizado uma greve em julho e realizado protestos em várias ilhas.

A secretária regional da Saúde anunciou recentemente que estes profissionais iriam receber valorizações salariais já em setembro, mas disse estar disponível para, em conformidade com a lei e em “diálogo permanente” com os sindicatos, fazer “os ajustes necessários”.

A proposta da tutela contempla a contagem de um ponto por ano, desde a última alteração do posicionamento remuneratório, para efeitos de progressão na carreira, mas os sindicatos reivindicam a contabilização de 1,5 pontos por ano.

A contestação surge a menos de dois meses das eleições legislativas regionais nos Açores, marcadas para o dia 25 de outubro.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados