O líder parlamentar do PS/Açores e antigo presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, apelou hoje à “capacidade de entreajuda” e à “solidariedade dos açorianos” para que seja possível ultrapassar “este período mais difícil” provocado pela covid-19.

“É também pela nossa determinação, pela nossa capacidade de entreajuda e pelo nosso espírito de solidariedade que, como povo e como Região, poderemos ultrapassar este período mais difícil e desafiante”, assinalou o socialista nas redes sociais.

Numa publicação no Facebook, Vasco Cordeiro partilhou um vídeo de um discurso de 20 de março de 2020, quando era presidente do executivo açoriano, em que apelava ao cumprimento das normas sanitárias.

Vasco Cordeiro recordou que o discurso daquele vídeo surgiu na “apresentação de sucessivas medidas duras, mas necessárias, que foram decididas pelo conselho do governo para fazer face à primeira vaga da pandemia”.

“Longe estava eu de pensar que, quase um ano depois, esta mensagem seria tão atual, tão necessária e tão importante face a estes momentos que a nossa região atravessa”, apontou.

O líder parlamentar do PS na Assembleia Regional renovou o apelo ao cumprimento das regras de segurança para conter a covid-19, “que mais não seja na simples condição de açoriano”.

Esta quarta-feira, pelas 16:30 (hora local, 17:30 em Lisboa), o presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, irá promover uma conferência de imprensa em Ponta Delgada no âmbito das medidas aplicadas para conter a pandemia, avançou fonte da presidência do executivo à agência Lusa.

Os Açores têm atualmente 841 casos positivos ativos de infeção pelo SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, dos quais 797 em São Miguel, 40 na Terceira, dois no Faial e dois nas Flores.

Desde o início do surto, registaram-se nos Açores 2.781 casos de infeção do novo coronavírus, que provoca a covid-19, tendo ocorrido 23 óbitos e 1.823 recuperações.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.945.437 mortos resultantes de mais de 90,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados